jul 25, 2011

Posted by in Lesão medular, Problemas Associados | 0 Comments

O intestino e bexiga após uma lesão da coluna

Lesões da Coluna
A nossa coluna se divide em 4 partes: cervical (nuca), torácica ou dorsal, lombar (da cintura ao bumbum) e sacral (entre a dobra do bumbum). Cada uma dessas partes é responsável por dar função e movimento a uma determinada parte do corpo.

Essas informações sobre o controle dos movimentos é transmitida por nervos que passam pelo “miolo”dos ossos que formam a nossa coluna. Esse miolo tem um nome específico: forame vertebral, que nada mais é do que um canudo que serve para proteger o nosso sistema nervoso.

O sistema nervoso é tão importante, porque é ele o responsável por todas as funções do nosso organismo, a respiração, o batimento do coração, funcionamento do intestino e da bexiga, tudo. Por exemplo uma parte da nossa respiração é controlada por estruturas que estão bem no início na nuca, quase dentro do crânio. Se essa parte é machucada há uma grande chance da pessoa precisar de ajuda de aparelhos para respirar.

Ainda na nuca existem nervos que irão controlar os movimentos dos braços e das mãos. Na parte do tórax existem os nervos que controlam os músculos da barriga e das costas. Descendo mais um pouquinho, na coluna lombar e na sacral, passam os nervos que irão movimentar as pernas e os pés.

As marcas deixadas por um acidente que tenham lesado a coluna dependem muito de qual parte foi atingida, de quanto tempo se passou desde a lesão até o atendimento médico. Em geral após um grande trauma o sistema nervoso entre em uma fase conhecida como choque, é como se o interruptor dessa região fosse desligado e é uma estratégia que nosso corpo adota para se proteger.

Passada essa fase do choque é que pode ser determinado o real tamanho do problema. Após o tratamento médico a fisioterapia é fundamental para o tratamento. São usadas técnicas que evitam problemas de cicatrização e problemas pulmonares, além de exercícios musculares que favorecem o retorno precoce dos movimentos.

A bexiga nas lesões da coluna
As seqüelas das lesões medulares, hoje vamos falar sobre as repercussões na bexiga que essa doença pode deixar. Da mesma maneira que acontece com o intestino, a bexiga pode sofrer com uma atividade continua e desordenada, que causa perdas urinárias, ou ficar com algum grau de paralisia.

O tipo da seqüela deixada irá variar conforme a altura e a gravidade da lesão da medula (o sistema nervoso que passa por dentro da coluna vertebral). Por exemplo, nas lesões do osso sacro (na altura do bumbum) é mais comum ocorrer a paralisia do músculo da bexiga, que é conhecida como acontratilidade detrusora.

Nas lesões mais altas, torácicas e cervicais o mais comum é aparecer uma hiperreflexia detrusora, ou seja, a bexiga não consegue segurar praticamente nada de urina, a cada gota de urina produzida, a bexiga se contrai para eliminá-la.

Os dois tipos de seqüela precisam ser tratados com médico urologista, pois o funcionamento incorreto da bexiga leva a problemas graves nos rins. A resposta a fisioterapia nesses casos só acontece em casos de lesões parciais de medula em que haja alguma sensibilidade da região genital.

Nos casos em que a lesão é completa o tratamento varia entre medicamentos ou cirurgias que previnem as lesões renais e melhoram a qualidade de vida dos pacientes.

O intestino após uma lesão da coluna
Como fica o intestino especificamente? Vimos que cada parte da coluna é responsável por movimentar e fazer funcionar uma região do nosso corpo. O intestino é controlado por fibras nervosas que saem ao nível da chamada transição tóraco-lombar, isto é no final da coluna torácica e no início da coluna lombar.

Essa parte do sistema nervoso é responsável pelos movimentos peristálticos, ou o empurrar dos alimentos digeridos até serem eliminados pelo canal do ânus.

Conforme a região da coluna lesada aparecerão diferentes complicações intestinais. Se a lesão da coluna foi em nível lombar ou sacral, provavelmente acontecerá uma paralisia parcial do intestino, e com isso haverá constipação (intestino preso) com perda de fezes.

Agora se a lesão da coluna foi superior a região lombar, ocorre uma atividade constante e descoordenada do intestino e do esfíncter anal. Essa atividade contínua de ambos, obstrui a saída das fezes e faz com que fiquem retidos no intestino grandes bolos fecais. Em relação aos tratamentos dessas complicações, existem medicamentos e cirurgias que podem facilitar a eliminação dessas fezes, só um médico especialista pode avaliar qual a melhor opção. A resposta a fisioterapia nesses casos depende da extensão da lesão.

Nos casos em que a lesão é parcial e existe alguma sensibilidade da região anal a resposta é favorável. Lesões totais da coluna tendem a não responder bem aos estímulos elétricos utilizados para o tratamento fisioterapêutico, se tiver dúvidas envie um e-mail.

Por: Dra. Ana Luiza Reis
Fisioterapeuta especialista em cancerologia e em disfunções do assoalho pélvico
CREFITO 3 76058

e-mail: reisanaluiza@yahoo.com.br
CENTRO MÉDICO INDAIATUBA II Fone (19)3894-5568
INSTITUTO LUBECK ITU Fone (11)4023-6153
Tratamento para incontinência urinária e fecal, adultos e crianças
Tratamento para disfunções sexuais

Fonte: Incontinencia e Sexualidade

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Facebook Twitter Email